DÚVIDAS SOBRE CORDAS

A corda de uma raquete de tênis tem grande influência na performance do jogador, assim como no bem estar do seu braço. Mas, escolher a corda certa nem sempre é tarefa fácil. Para aumentar as chances de acerto e você obtenha o maior proveito de seu equipamento e ainda poupar o braço, destacamos algumas dicas importantes e sugerimos levá-las em consideração.

Tipos de cordas

Dividimos e qualificamos as cordas em sete grupos. Veja:

1NylonIndicadas aos jogadores que estejam buscando economizar no equipamento. São cordas básicas e de baixo custo. Perdem tensão rapidamente e sofrem alterações com a variação de temperatura. Em geral tem maior espessura e absorvem pouco impacto. Deslocam-se durante o uso.

2Tripa sintéticaIndicadas aos jogadores iniciantes, intermediários e crianças. Com custo intermediário, estas perdem menos tensão do que os nylons e estão menos sujeitas a variação de temperatura. Sua absorção ao impacto é boa. Em geral são mais finas e resistem menos a quebra do que os nylons. Deslocam-se durante o uso.

3 – PoliésterIndicadas aos jogadores competitivos e avançados que quebram cordas com grande frequência. Resistente a quebra e com custo intermediário, perdem tensão rapidamente e apresentam baixa absorção ao impacto da bola. Não se deslocam durante o uso.

4Tripa NaturalIndicadas aos jogadores que estejam buscando o máximo de absorção ao impacto da bola e não estejam preocupados com a durabilidade/custo. Com as mesmas características da  tripa sintética, embora com muito mais qualidades, especialmente quando se fala em conforto, são extremamente sensíveis a umidade, caras e de baixa durabilidade. Deslocam-se durante o uso.

5Multifilamento. Indicadas aos jogadores com histórico de incômodo em qualquer parte do braço. São cordas sintéticas de altíssimo nível técnico e de absorção ao impacto da bola. Em geral desenvolvidas com tecnologias e matérias primas sofisticadas. Deslocam-se durante o uso.

6 – CopolímeroNão indicadas para jogadores iniciantes, recreacionais e com histórico de incômodo no braço. Estas privilegiam os avançados. Embora muitos confundam as cordas de poliéster com as de copolímeros (constituídas por diversos polímeros), existem diferenças significativas. Entre elas estão, maior absorção ao impacto da bola, maior efeito spin e potência dos copolímeros. De muito boa durabilidade, é a escolha de 95% dos jogadores profissionais. Não se deslocam durante o uso.

7Híbrida. (combinação de tipos de cordas). Indicadas aos jogadores avançados e profissionais. A combinação mais popular é a de um copolímero na posição vertical e uma tripa sintética ou tripa natural ou ainda um multifilamento na horizontal. Com muito boa durabilidade e absorção ao impacto da bola (se comparada às raquetes encordoadas com copolímero por inteiro), oferecem muito boa relação jogo/conforto. Deslocam-se durante o uso.

Espessuras das Cordas

Podendo ser apresentadas em milímetros ou gauge (duas unidades comuns, usadas pelos fabricantes, para mensurar as espessuras), vamos dividi-las em dois grandes grupos, finas e grossas.

Cordas finas. Em geral até 1,30 mm de espessura (ou gauge 16), são indicadas aos jogadores de todos os níveis, pois tem melhor absorção ao impacto da bola, aumentam o efeito spin e a potência. Mas, tendem a durar menos.

Cordas grossas. Em geral acima de 1,30 mm de espessura (ou gauge 16), são indicadas aos jogadores de nível avançado que estejam buscando maior controle de bola e durabilidade. Mas, tendem a reduzir potência e conforto.

Caso esteja adquirindo uma raquete nova e não tenha opinião formada sobre a espessura, opte sempre pelas mais finas.